Fundação Prior Sardo aposta na prevenção das drogas lícitas e ilícitas

Para memória futura:
Reportagem publicada no jornal Solidariedade em 2009



Neste Verão [2009], até Setembro, a Fundação Prior Sardo (FPS), da Gafanha da Nazaré, está a desenvolver ações de prevenção contra as drogas lícitas e ilícitas, nos bares e noutros espaços noturnos da Praia da Barra. Aos fins de semana, a começar em Julho, uma equipa, constituída por uma técnica do serviço social, uma psicóloga e uma animadora sociocultural, vai tentar criar empatia com os jovens, distribuindo porta-chaves, autocolantes, crachás, espelhos, T-shirts e esferográficas, entre outros brindes, todos portadores de mensagens preventivas da toxicodependência. 
Fuma-(+Curte), Liberta-te+(-bebe) e previne.tua.vida… atreves-te? vão ser mensagens inseridas nas T-Shirts, em folhetos e nos brindes, desafiadoras e estimulantes para o diálogo entre os membros da equipa e os jovens frequentadores dos cafés e bares, apostando em alternativas de diversões mais saudáveis. 
A equipa, tão jovem como muitos jovens frequentadores da “noite”, vai mostrar que a diversão é possível e até aconselhável sem álcool, tabaco e demais drogas, substâncias altamente perigosas para a saúde. Ainda tentará propor bebidas, mais refrescantes, sem álcool, preparadas na hora pela própria equipa, que conta com o apoio dos proprietários dos bares, que aceitaram colaborar com este desafio da FPS. 
A ideia destas ações surge como resposta ao desafio lançado pelo último diagnóstico territorial do concelho de Ílhavo, que sugere a necessidade de intervir nas áreas da prevenção e da reinserção social, junto dos adolescentes e jovens. Nessa linha, nascem dois projectos, “previne.tua.vida” e “segue.com.vida”, que suportam o trabalho em curso no Município de Ílhavo. 
A Praia da Barra, na Gafanha da Nazaré, com vida noturna mais intensa, foi escolhida para uma intervenção mais direta e mais personalizada durante o Verão. 
Todo o trabalho é feito, aliás, em sintonia com o PORI (Plano Operacional de Respostas Integradas), do IDT (Instituto da Droga e Toxicodependência), que financia a Fundação, neste sector.

“O tempo está bom, os jovens estão de férias e tudo lhes desperta outros tipos de interesses; os bares, cafés e demais estabelecimentos noturnos são preferenciais pontos de encontro da juventude; os exageros são frequentes e a FPS quer contribuir para reduzir a experimentação, evitando e retardando os riscos do consumo de drogas lícitas e ilícitas”, explica Maria Cândida Silva, diretora técnica da instituição. 
Elaborado o projeto da ação a desenvolver, a equipa passou por uma fase de conhecimento do diagnóstico concelhia, recebeu formação específica para trabalhar no sector da toxicodependência e assume, agora, “a experiência de campo”, aos fins de semana. 
Foram estabelecidos contactos com os bares, cafés e outros estabelecimentos similares, no sentido de se conseguir a colaboração adequada. “Todos aceitaram muito bem a ação”, garante-nos a diretora técnica da FPS. 
“Não vamos com moralismos para estes adolescentes e jovens, mas vamos tentar fazer passar a mensagem, informando-os de que é possível divertirem-se sem terem que cometer excessos”, afirma Maria Cândida Silva. E logo esclarece: “Nem todos os jovens têm comportamentos de excesso de álcool e drogas, mas a maioria tem.” 
A equipa já foi a esses bares enquanto observadora, para perceber como é que funcionam e uma coisa é certa: “tínhamos tudo muito bem delineado, mas os ambientes que fomos observar já nos ensinaram que devemos atuar enquanto os jovens estão sóbrios.” 
Maria Cândida Silva reconhece que há espaços da “noite” mais familiares, onde não há situações de risco, mas também há os outros que não podem ser ignorados, se é que queremos apostar num estilo de vida mais saudável. Nesse sentido, esta intervenção, que se insere no projecto “previne.tua.vida”, terá continuidade, se necessário, no projecto “segue.com.vida”. Neste último, a FPS, em parceria com a Câmara Municipal de Ílhavo, Centro de Saúde, CPCJ (Comissão de Protecção de Crianças e Jovens), CERCIAV (Cooperativa para a Educação e Reabilitação dos Cidadãos Inadaptados de Aveiro) e Grupo Desportivo da Gafanha, procura ajudar na busca de emprego para toxicodependentes em tratamento e facilitar a integração sociofamiliar. Quer, deste modo, melhorar as condições para o bem-estar e para a vida ativa dos indivíduos, reforçando competências sociais e promovendo a sua independência económica. 
A FPS é uma instituição sediada na Gafanha da Nazaré e foi escolhida para fazer a prevenção e promover a reinserção social dos ex-toxicodependentes, na área do concelho de Ílhavo. 

Fernando Martins 

Notas:
1. Foi atualizada a ortografia
2. Texto publicado no jornal Solidariedade em julho de 2009

Comentários